História

História

O colégio de São José de Bairros, situado no lugar de Bairros, Freguesia de Lodares, concelho de Lousada, tem a seguinte origem:

Vivia, neste mesmo lugar, uma família distinta: Sr. Dr. António José Freira Leite, formado em direito pela Universidade de Coimbra, sua esposa D. Rita Cassia Ribeiro e Silva e seu filho António Fabião. Encontrando-se este, em Coimbra, a seguir a mesma carreira do pai, foi acometido de uma tuberculose, doença incurável, naquele tempo.

Nessa altura, pelas imediações de 1870, estava a surgir a Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras Portuguesas, fundada por Madre Maria Clara do Menino Jesus, toda voltada para Obras de Beneficência, seguindo o Lema: “Onde houver o bem a fazer, que se faça”.

Tendo conhecimento disso, o Sr. Dr. António José Leite acorreu junto da Mãe Clara, pedindo-lhe uma Irmã dessa congregação que viesse para sua casa, tratar o filho. Foi-lhe então cedida a Irmã Maria Iria das Dores. Dentro de algum tempo, vieram mais duas Irmãs que, como o meio era muito pobre, começaram por prestar os seus serviços de hospitalidade.

Após a morte do filho, António Fabião, as Irmãs retiraram, mas deixaram, nessa ilustre família e no povo desta região, uma saudade da sua grande Caridade, Abnegação e Amor ao Próximo. Isto fez com que o Sr. Dr. António José Freire Leite resolvesse fazer o testamento de todos os seus bens à Congregação. E fê-lo a 31 de Outubro de 1890 sob os nomes civis de quatro Irmãs: Libânia do Carmo Galvão Mexia de Moura Teles e Albuquerque (Ir. Maria Claro do Menino Jesus), Albina de Jesus Alves de Azevedo (Ir. Maria Iria das Dores) e mais duas irmãs. Só depois da sua morte, a de sua esposa, de uma sua irmã D. Joaquina Júlia da Conceição de Maria e cumpridos outros legados entre estes o de estabelecer na casa de habitação uma Escola para benefício do meio, é que a Congregação poderia tomar posse.

Assim, a Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras só no ano de 1897 veio a dar cumprimento a este Testamento. Abriu o Colégio a 10 de Junho desse mesmo ano com o nome da Nossa Senhora das Necessidades, a Padroeira da Capela já existente na casa de habitação.

Para além das atividades escolares, as Irmãs dedicavam-se ainda a toda a espécie de trabalhos femininos: Lavores, música, pintura, culinária, etc… e depressa aumentou o números de alunas, sendo necessário, em 1906, aumentar as dependências do Colégio e alargar a Capela que se tornou um grande centro de atração religiosa.

Com a implantação da República no país, em 1910, são expulsas as Ordens Religiosas e o Colégio também sofreu as suas consequências nefastas. Foi logo fechado pelas autoridades vindas do Porto. As alunas e algumas religiosas tiveram de retirar para suas casas. Nesta altura o povo desta Região e de uma maneira especial as Famílias da Casa de Poveira de Bitarães, Queirós de Lodares e a da Casa da Torre de Paços de Ferreira mostraram a sua solidariedade e carinho, prestando às Irmãs todo o auxílio necessário que jamais ficará esquecido.

Área Reservada - Encarregados de Educação

Para melhorar a sua experiência, utilizamos cookies para otimizar as funcionalidades do site. Ao continuar a navegação está a aceitar a sua utilização.
Ok